Mini bags: pequenas bolsas, grandes vendas

ISTITUTO DI MODA BURGO

BLOG

Já houve uma época em que para ostentar riqueza e influência na sociedade, ter e usar coisas grandes era sinal de sucesso: grandes carros, grandes casas, itens da moda de tamanhos grandes, como as bolsas e óculos. Grandes maxi sacolas, óculos enormes, casacos de pele gigantes, tudo em formato big e chamativo. 


Mas atualmente, será que a moda e o sinômino de sucesso e beleza estão ligados à ostentação e coisas grandes? Cada vez menos, posso afirmar. Tudo está cada vez mais ligado ao minimalismo, à tamanhos pequenos, à visuais mais minimalistas e básicos. E os itens de grande sucesso da moda também: o caso dos mini óculos, que seguem sendo ícones de estilo, e das mini bags. As bolsas estão diminuindo cada vez mais de tamanho e isso é o que as fazem ser tão desejadas. Alguns grandes sucessos mundiais como: Gucci Dionysius mini em camurça, as mochilas minis Palm Springs e Lockuit da Louis Vuitton, Le Chiquito da Jacquemus, a bolsa tipo C, em cubo, da Chloé e a Sidonie, da Prada, comprovam que as minis estão cada vez mais em alta, já que de acordo com relatório do The RealReal, as pesquisas na web por esse tipo de bolsa aumentaram 544%: aumento maior do que qualquer outro tipo de termo pesquisado. As vendas aumentam cada vez mais, com preços nada pequenos (quanto menores, mais caras). 


Mas porque será que elas fazem tanto sucesso? Acreditamos que um item tão pequeno se destaque e seja de muito mais expressividade em um look do que um grande, pensando no humor óbvio de usar algo tão pequeno que perde a sua funcionalidade principal (de carregar itens pessoais). Mostra que além de desapegado com os itens e desprendimento, a pessoa que carrega uma micro bag tem status para pagar um valor bem significativo em um item de estilo e não funcional, mas sim algo que está além disso. 


Quem também quer aderir à essa trend?

Imagens: Pinterest / Reprodução