Gucci Cruise 2020 prega a liberdade de escolha e quebra de tabus

ISTITUTO DI MODA BURGO

BLOG

Um dos desfiles Cruise mais esperados é sempre o da Gucci: desde que está sob comando de Alessandro Michele em 2015 a marca tem sua estética cheia de história, multiculturas, arte e diversidade muito forte, já que são essas características do designer e de suas criações. Para a coleção Cruise 2020 não seria diferente: Michele se inspirou nos movimentos feministas e de liberdade de escolha dos anos 70 e criou uma coleção riquíssima em história, cultura e detalhes especiais. Confira:

O LOCAL


O desfile foi apresentado no Museu Capitolino, em Roma, inaugurado em 1734, e é considerado o primeiro museu surgido para disponibilizar a arte para todos. É um local super especial para Michele, que é italiano e amante da arte, e frequenta este museu nos finais de semana com seu pai. Escolha perfeita para unir história, cultura e a quebra de paradigmas. O local estava escuro e jogos de luzes focados iluminavam os modelos que desfilavam na passarela.

A INSPIRAÇÃO


Suas referências foram sobretudo da década de 70, época da quebra de tabus e paradigmas sociais. O feminismo foi um forte movimento na época e o slogan "My body, my choice" que surgiu no movimento foi estampado em peças, além da data 22.05.1978, data em que entrou em vigor a lei italiana para a proteção social da maternidade e do aborto legal. 

"Minha nova coleção cruise é, como de costume, uma homenagem a muitas coisas e a diferentes culturas e momentos históricos. Entre outras citações, há algumas referências aos anos setenta, um momento no tempo em que os limites eram desfocados em comparação com os dias de hoje. Um momento específico no tempo em que diferentes culturas foram misturadas. Foi um momento histórico em que as mulheres - finalmente - rejeitaram todas as restrições que foram impostas nos séculos anteriores e se tornaram livres. É por isso que estou prestando homenagem à lei italiana sobre o aborto, a lei número 194", disse Alessandro Michele em entrevista ao site WWD. 


O designer ainda trouxe apoio à campanha Chame for Change, que visa a igualdade de gênero e é patrocinada pela Gucci. A campanha já financiou vários projetos de saúde reprodutiva e materna em alguns países, como Afeganistão, Bangladesh, Filipinas, Síria, Sudão do Sul e Estados Unidos.


A COLEÇÃO


Foram criados 96 looks recheados de cores, texturas, estampas, e detalhes únicos. Além de estampas com cunho feminista e de igualdade de gênero, a estampa do Mickey Mouse também foi presente em vários itens da coleção e trouxe uma estética mais pop e que promete ser sucesso nas ruas do mundo afora.

Confira na galeria abaixo os principais looks do desfile!