Como ficará a moda? Reflexões do novo cenário mundial

ISTITUTO DI MODA BURGO

BLOG

O mundo mudou e essa mudança não tem mais volta. Mesmo com o retorno das atividades pós quarentena, mesmo com a estabilização da pandemia e até quando tivermos a cura para esse vírus, uma coisa é certa: o mundo não voltará mais a ser o que era antes. O planeta já dava sinais da necessidade de mudanças, com tantos problemas climáticos, poluição, extinção de animais e até a escassez de água e recursos naturais. E com isso, à passos lentos, já víamos a necessidade de mudanças de comportamentos, hábitos e ações para com o planeta.

No mercado da moda não foi diferente: nos últimos anos já observamos mudanças com relação ao consumo: fast fashions com alta produção e que faturavam milhões e bilhões falindo ou reduzindo drasticamente suas lojas e faturamento. A sustentabilidade começa a ser uma pauta mais comum entre os consumidores e as marcas sentem a necessidade de reverem suas produções e suas formas de venderem também, buscando valores mais sociais e sustentáveis para seguirem relevantes nesse novo cenário. 


Porém, com a pandemia instaurada no mundo todo, o processo de mudanças, tanto no mundo em geral quanto no mercado da moda, serão grandes e imediatas. Não teremos algo gradativo ou período de adaptação: o mundo mudou de um dia para o outro e isso não tem volta. Agora, a pergunta que todos da área se fazem é: como ficará a indústria da moda?

Não há uma resposta única e certeira ou uma "receita de bolo" para aplicarmos. Mas, de acordo com especialistas da área, temos algumas importantes reflexões para compartilhar:

É correto vender e ofertar meu produto nesse momento?

Muitos se sentem desconfortáveis e acreditam até que seja errado. O motivo é simples: seu negócio ou produto parece ser irrelevante no momento. E pode ser que seja sim. Se o seu produto ou marca traz relevância para a sociedade ou para o planeta, ou seja, traz benefícios para ambos ou para algum deles e ajuda de alguma forma o mundo, você naturalmente não deve sentir esse desconforto, porque você já tem um produto com relevância e um significado por trás, não sendo apenas mais um produto no mercado. E sim, sendo assim, é mais do que normal você vender nesse momento, mostrar seu produto e utilizar essa relevância para mostrar porque as pessoas devem consumi-lo: você vai fazer as pessoas entenderem que através da sua marca elas vão ajudar o planeta e as pessoas nesse momento tão delicado!


A moda não é prioridade nesse momento. Passa a ser um mercado secundário e para muitos desnecessário. Por isso, o mercado precisa utilizar-se desse tempo para parar, pensar e refletir sobre suas ações e posicionamento.

O consumo será muito mais consciente e pensado, já que os consumidores passam a valorizar mais seu tempo, as coisas simples da vida, experiências, o mundo que os cercam, o que os produtos que usam representam, fazendo com que marcas precisem desacelerar, repensar estratégias e posicionamento e encontrar sua real relevância para seguir no mercado. As pessoas já perceberam que ficando em casa todo esse tempo o seu consumo mais necessário se tornou alimento, conforto para casa e roupas ficaram em segundo plano, mostrando que comprar peças e mais peças de roupas todo mês realmente não tem sentido.

Transformação de marcas: muitas marcas passarão por grandes transformações para se tornarem relevantes ou aumentarem sua relevância à partir de agora. Novos mercados também surgem e outros menores se fortalecem, como: brechós e peças de segunda mão, aluguel de roupas casuais, upcycling e foco em produções mais sustentáveis e em menor escala - slow fashion. É hora de buscar alternativas e novas soluções! 

Teremos muitos pequenos negócios de moda fechando? 

Sim, é um momento de muitos negócios fecharem as portas também, principalmente os pequenos. Muitos vão repensar se valerá a se manter no mercado, além de sua real vocação para o empreendedorismo, que foi altamente romantizado nos últimos tempos mas nesse período se mostra mais difícil e real do que nunca. Assim, muitos vão buscar voltar ao mercado de trabalho por necessidade.  

Por fim, o mercado precisa repensar como se manter sendo relevante, agora e no pós pandemia. No futuro, vamos lembrar de marcas e pessoas que fizeram a diferença nessa fase! 

Fonte: E a Moda, como fica? André Carvalhal