Como a indústria da moda está ajudando o combate do Coronavírus

ISTITUTO DI MODA BURGO

BLOG

Depois da China, grande exportador de produtos têxteis para o mundo, as vítimas da pandemia foram países europeus de grande relevância na moda, como Itália, França, Espanha e Londres. O mercado do luxo é um dos principais atingidos, já que suas produções originárias da China e da Itália se esgotaram e esses são os países mais afetados com a pandemia. Com isso, e grandes grifes e personalidades da indústria estão se mobilizando e fazendo suas contribuições a fim de auxiliar no combate do novo Coronavírus. 

Confira abaixo quais grifes contribuíram e suas ações:


CHIARA FERRAGNI

A digital influencer e CEO de sua marca homônima de moda Chiara Ferragni juntamente com seu marido, o cantor italiano Fedez, mobilizou seus seguidores e todos os seus contatos para um fundo de doações para construção de hospitais em Milão e outras regiões muito afetadas com o surto na Itália. A campanha foi iniciada com a doação do casal, de 100 mil euros, e em poucos dias eles arrecadaram mais de 4 milhões de euros para construção de novos centros de UTI nos hospitais de Milão e demais cidades da região. Além disso, Chiara está promovendo ações de entretenimento em suas redes sociais por meio de lives com shows de grandes nomes da música italiana, como Andrea Bocelli, para trazer alegria aos italianos que estão em quarentena e sofrendo muito com a situação grave do país.

LOUIS VUITTON

Para ajudar na escassez de álcool gel na França, a LVMH, grupo detentor da marca, anunciou no último domingo que 3 de suas fábricas de perfumes e cosméticos estarão trabalhando na fabricação de álcool gel para serem entregues gratuitamente aos hospitais e autoridades francesas. Além disso, a marca doou 2,2 milhões de dólares para a Sociedade da Cruz Vermelha na China.

PRADA

Os CEOs da Prada, Patrizio Bertuelli e Miuccia Prada doaram 6 UTIs para cada 3 hospitais de Milão, na Itália. O país já enfrenta a quarentena total desde o dia 09 de março e os números de mortos e novos casos ainda crescem de forma muito significativa. Para auxiliar no tratamento de contaminados, ampliar leitos de UTI nos hospitais é uma medida fundamental. 

VERSACE

Donatella Versace e sua filha doaram 200 mil euros para a UTI do hospital San Raffaele, de Milão, que ficou sobrecarregado com o grande número de infectados com o vírus. Além disso, a marca também doou cerca de 144 mil dólares para a Cruz Vermelha Chinesa, para ajudar no suprimento de mantimentos médicos no país. 

GIORGIO ARMANI

O estilista fez uma doação de 1,4 milhão de euros para ajudar 3 hospitais de Milão, o hospital Spallanzani, de Roma e a Agência de Proteção Civil.

KERING

O conglomerado detentor de grifes como Gucci, Saint Laurent e McQueen doou 1 milhão de dólares para a Sociedade da Cruz Vermelha da China.

Além do conglomerado, Marco Bizzari, diretor executivo da Gucci doou 100 mil euros para hospitais da região Emilia-Romagna, a mais afetada com o vírus na Itália.

BVLGARI

A grife fez uma doação para o Departamento de Pesquisa do Hospital Lazzaro Spallanzani, em Roma, que teve a primeira equipe médica a isolar o vírus em menos de 48 horas. Isso possibilita o diagnóstico do vírus, busca de prevenção e cura através do estudo da vacina para combate. A doação foi usada para a compra de um sistema de aquisição de imagens microscópicas de última geração, instrumento essencial para pesquisa de prevenção e tratamento do vírus.

Além desses, diversos artistas e empresas de outros setores estão se mobilizando e auxiliando países afetados no mundo todo!

Fontes: FFW / Upworthy